Área de Atuação

A V&S Ambiental atua nas áreas de Meio Ambiente e Saneamento, disponibilizando inclusive Assessoria Jurídica. A V&S desenvolve todos os estudos ambientais necessários para obtenção de Licenciamento Ambiental Prévio, de Implantação e Operação, Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA), Diagnósticos Ambientais, Inventário Florestal, Elaboração e Execução de Plano Básico Ambiental (PBA), Acompanhamento e Gerenciamento Ambiental de Obras, Gerenciamento Ambiental de Áreas Contaminadas (Avaliação Ambiental Preliminar, Avaliação Ambiental Confirmatória, Avaliação Ambiental Detalhada, Analise de Risco e Remediação).

Estudos Ambientais

Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA): estudo que avalia o impacto ambiental (entendido como qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente que afetem a saúde, a segurança e o bem-estar da população, as atividades sociais e econômicas, a biota, as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente e a qualidade dos recursos ambientais), causado pela implantação e operação de um empreendimento. De acordo com a Resolução Conama 01/86, o EIA deve:

I – Contemplar todas as alternativas tecnológicas e de localização de projeto, confrontando-as com a hipótese de não execução do projeto;
II – Identificar e avaliar sistematicamente os impactos ambientais gerados nas fases de implantação e operação da atividade ;
III – Definir os limites da área geográfica a ser direta ou indiretamente afetada pelos impactos, denominada área de influência do projeto, considerando, em todos os casos, a bacia hidrográfica na qual se localiza;
lV – Considerar os planos e programas governamentais, propostos e em implantação na área de influência do projeto, e sua compatibilidade.

Plano Básico Ambiental (PBA): documento composto pelo detalhamento dos programas socioambientais propostos no estudo ambiental prévio, e pelo atendimento e/ou encaminhamento das demais exigências e recomendações do órgão ambiental fixadas na Licença Ambiental Prévia – LP.

Plano de manejo: é o documento que contém um conjunto de diretrizes para as intervenções e ocupações de uma determinada porção territorial.

Relatório de Caracterização do Empreendimento (RCE): é o documento no qual o empreendedor apresenta as informações básicas do empreendimento, em formulário próprio fornecido pelo INEMA, que possibilitam ao órgão ambiental definir os procedimentos e etapas a serem observadas no processo de licenciamento.

Diagnóstico Ambiental: é o documento que contém um conjunto de informações qualitativas e quantitativas relacionadas aos recursos ambientais existentes, de modo a caracterizar a situação ambiental da área de influência do empreendimento ou atividade, considerando os aspectos do meio físico, biológico e socioeconômico.

Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS): documento que contem a estratégia geral adotada para o gerenciamento dos resíduos, abrangendo todas as suas etapas, especificando as ações a serem implementadas com vistas à conservação e recuperação de recursos naturais, de acordo com as normas pertinentes.

Programa de Recuperação de Áreas Degradadas: é o documento que contém as medidas propostas para a mitigação dos impactos ambientais decorrentes das atividades ou dos empreendimentos, incluindo o detalhamento dos projetos para a reabilitação das áreas degradadas.

Gerenciamento de áreas Contaminadas: consiste basicamente em 5 etapas: Avaliação Preliminar, Investigação Confirmatória, Investigação Detalhada, Análise de Risco e Remediação. Avaliação Preliminar objetiva encontrar indícios de uma possível contaminação do solo e águas subterrâneas, através das informações obtidas nos estudos históricos, de fotos aéreas e em inspeções em campo. A partir dessa etapa, a área em estudo poderá ser classificada como suspeita (AS) ou contaminada (AC). Caso a área de estudo seja considerada como suspeita (AS) deverá será realizada uma investigação confirmatória, quando são realizados estudos e investigações com o intuito de comprovar a existência da contaminação.
Após a investigação confirmatória, caso a área seja considerada contaminada deverá ser realizada a investigação detalhada, momento em que serão avaliadas as características da fonte de contaminação e do meio afetado, através da determinação das dimensões da área afetada, dos tipos e concentração dos contaminantes presentes e da pluma de contaminação, visando obter dados suficientes para a realização da avaliação de risco e do projeto de remediação.

Relatório de Controle Ambiental (RCA): é o documento que contém as informações, levantamentos e/ou estudos que permitam avaliar os efeitos do empreendimento sobre o meio ambiente abrangendo os seguintes aspectos I – descrição do empreendimento; II – diagnóstico ambiental da área de influência do projeto; III – análise dos impactos ambientais e proposta de medidas mitigadoras para os mesmos; IV- avaliação da ocorrência de acidentes, relativos ao ambiente, possíveis de ocorrer durante o funcionamento do empreendimento, seus efeitos e os sistemas e procedimentos destinados a prevenir a ocorrência de tais eventos; V – monitoramento ambiental; VI – análise custo-benefício.

Plano de Controle Ambiental (PCA): é o documento que apresenta os projetos executivos das ações mitigadoras dos impactos ambientais identificados nos estudos ambientais, bem como daquelas estabelecidas pelo IMA ou CEPRAM, acompanhado do cronograma de execução.

Plano de Gestão Agroambiental (PGA): é o documento que contém a caracterização do empreendimento, diagnóstico ambiental, avaliação de impactos ambientais decorrentes da atividade desenvolvida e as boas práticas agroambientais a serem adotadas.

Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR): aplicação sistemática de políticas de gerenciamento, procedimentos e práticas de análises, avaliação e controle dos riscos para empreendimentos que processam, produzem, armazenam ou, de alguma forma, utilizam as substâncias perigosas, ou que realizam o transporte das mesmas por dutos, com o objetivo de proteger os funcionários, o público em geral, o meio ambiente e as instalações, evitando a interrupção do processo.

Plano de Emergência: conjunto de medidas que determinam e estabelecem as responsabilidades setoriais e as ações a serem desencadeadas imediatamente após um acidente, bem como definem os recursos humanos, materiais e equipamentos adequados à prevenção, controle e combate à emergência.

Plano de Contingência: conjunto de procedimentos e ações que visam à integração dos diversos planos de emergências setoriais, bem como a definição dos recursos, materiais e equipamentos complementares para a prevenção, controle e combate à emergência.

Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA): documento que visa a preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais.

Análise Preliminar de Risco (APR): técnica qualitativa estruturada para identificar os possíveis cenários de acidente em uma dada instalação, classificando-os de acordo com categorias pré-estabelecidas de risco a partir da sua frequência de ocorrência e de sua severidade. Medidas para redução dos riscos da instalação podem ser propostas e o novo risco do cenário pode ser avaliado.

Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (PCMAT): documento que estabelece diretrizes de ordem administrativa, de planejamento e de organização, que objetivam a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na Indústria da Construção.

Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional (PCMSO): é parte integrante do conjunto mais amplo de iniciativas da empresa no campo da saúde dos trabalhadores e possui caráter de prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce dos agravos à saúde relacionados ao trabalho e considera as questões incidentes sobre o indivíduo e a coletividade de trabalhadores, privilegiando o instrumental clínico-epidemiológico na abordagem da relação entre sua saúde e o trabalho.

Projetos

Coleta Seletiva
Estação de Tratamento de Efluentes Líquidos
Centrais de Armazenamento de Resíduos Sólidos
Captação de Água de Chuva
Estação de Tratamento de Água

Execução

Plano Básico Ambiental
Gerenciamento Ambiental de Obras
Programa de educação ambiental
Programa de comunicação social
Resgate de fauna e flora
Recuperação de áreas degradadas
Revegetação